Terça, 23 de Julho de 2024
25°

Tempo limpo

Teresina, PI

Geral Banco Vermelho

Banco Vermelho chega ao Piauí para estimular a mulher a denunciar agressor; 80% das vítimas são mortas dentro de casa

Banco Vermelho chega ao Piauí para estimular a mulher a denunciar agressor; 80% das vítimas são mortas dentro de casa

17/06/2024 às 11h57
Por: Fernando Rocha Fonte: cidadeverde.com
Compartilhe:
Banco Vermelho
Banco Vermelho

Por Yala Sena 

O projeto de combate ao feminicídio, Banco Vermelho, será inaugurado nesta segunda-feira no Parque Potycana em uma ação de fortalecer a rede de proteção e evitar a desinformação. Na manhã de hoje, foi realizada uma audiência pública na Assembleia Legislativa para tratar sobre a violência a mulher e de instalação do Banco Vermelho.

O banco é vermelho para lembrar as mulheres mortas e será instalado em espaços públicos de grande circulação de pessoas, onde constarão frases que estimulem a reflexão sobre o tema e contatos de emergência para eventual denúncia e suporte para a vítima. 

No Piauí, lutamos contra o feminicídio zero.

Sentar é refletir, levantar e agir. 

Atualmente há bancos instalados em diversos países, como Estados Unidos, Espanha, Áustria, Mongólia, Austrália, Ucrânia e Argentina. O projeto foi   lançado no Brasil dia 24 de março deste ano e Pernambuco o primeiro estado a abraçar a iniciativa.

Foto: Renato Andrade/ Cidadeverde.com

Participa da solenidade a primeira-dama do estado, Isabel Fonteles, a secretaria estadual da Mulher, Zenaide Lustosa, a defensora Verônica Acioly e a senadora Jussara lima. Participo da audiência a diretora do Instituto Banco Vermelho, Paula Limongi e com a participação de várias mulheres. A audiência pública foi proposta pela Simone Pereira. E participa também a senadora do Ceará, Augusta Brito.

A secretaria estadual da Mulher, Zenaide Lustosa, disse que 80% das vítimas foram mortas dentro de casa. 

“O banco vem sensibilizar as mulheres contra o feminicídio”, disse que este ano já foram mortas 16 mulheres. 

Paula Limongi disse que o Brasil é o quinto país que mais mata mulheres.

“A cada seis horas uma mulher é vítima de feminicídio. O banco vermelho vem ser um ícone democrático, de fortalecer a rede a favor do feminicídio zero” afirma. 

A deputada Simone Pereira disse que o banco vermelho também vem combater a desinformação e estimular a denúncia e a rede de apoio.

A primeira-dama, Isabel Fontenele, ressaltou a importância da rede de proteção e dos canais de denúncias.

Entre os deputados estaduais participaram da audiência apenas Georgiano Neto e o presidente da Alepi, Franzé Silva, que abriu a solenidade. O deputado federal, Júlio César, também participa da audiência.

Ele1 - Criar site de notícias