Nem Motos, Nem Veiculos, Pé Quente, Alexandre
TJ ordena prisão

TJ ordena prisão de trio preso com uma tonelada de cocaína em Teresina

Segundo a visão do TJ-PI, a prisão preventiva se faz necessária para garantia da ordem pública

14/01/2020 09h23
Por: Fernando Rocha
Fonte: meionorte.com
TJ ordena prisão de trio preso com uma tonelada de cocaína em Teresina
TJ ordena prisão de trio preso com uma tonelada de cocaína em Teresina

A 2° Câmara Especializada Criminal do Tribunal de Justiça do Piauí revogou a liminar que mandou soltar André Luís de Oliveira Cajé Ferreira, Vagner Farabote Leite e Alexandro Vilela de Oliveira.

Os três envolvidos são acusados de fazer parte da quadrilha presa com uma tonelada de cocaína, avaliada em R$ 25 milhões, e duas aeronaves, determinando a expedição de mandado de prisão. De acordo com a decisão, não foi encontrado nenhuma ilegalidade, abuso de poder ou teratologia a justificar a liminar concedida. 

Segundo a visão do TJ-PI, a prisão preventiva se faz necessária para garantia da ordem pública, devido quantidade de droga apreendida, possibilidade de evasão e necessidade de contenção de organização criminosa.

Crédito:Divulgação/SSP-PI

O caso

No dia 10 de dezembro de 2019, a Secretaria de Estado da Segurança Pública, por meio do Grupo de Repreensão ao Crime Organizado (GRECO), Batalhão de Operações Especiais da PMPI, Divisão de Operações Especiais (DOE) e  Delegacia de Entorpecentes (DEPRE), realizaram a apreensão mais de uma tonelada de drogas em no bairro Pirajá, na zona Norte de Teresina, nas proximidades da Universidade Estadual do Piauí (UESPI). Segundo nota emitida pela própria secretaria de segurança, essa foi a maior apreensão de cocaína feita no Estado.

Crédito:Divulgação/SSP-PI

Crédito:EfrémRibeiro

Nenhumcomentário
500 caracteres restantes.
Seu nome
Cidade e estado
E-mail
Comentar
* O conteúdo de cada comentário é de responsabilidade de quem realizá-lo. Nos reservamos ao direito de reprovar ou eliminar comentários em desacordo com o propósito do site ou com palavras ofensivas.
Mostrar mais comentários