Quarta, 17 de outubro de 2018
86 99829-3614
Política

05/10/2018 ás 15h19 - atualizada em 07/10/2018 ás 20h33

5.566

Fernando Rocha

Lagoinha / PI

Último debate tem tom crítico entre candidatos ao Governo do PI
Último debate tem tom crítico entre candidatos ao Governo do PI
Último debate tem tom crítico entre candidatos ao Governo do PI
Último debate tem tom crítico entre candidatos ao Governo do PI

A grande expectativa em relação ao último debate entre os candidatos ao Governo do Estado, promovido pela Rede Meio Norte, na noite de quinta-feira, dia 04, era que os candidatos da oposição fossem encurralar o governador Wellington Dias (PT), candidato à reeleição, mas o que foi testemunhado foi o gestor criticando a oposição, acusando-a de torcer para que o Piauí tivesse atrasado os salários dos servidores púbicos estaduais.


Participaram do debate os candidatos ao Governo do Estado de partidos com representação na Câmara dos Deputados, Wellington Dias (PT), Doutor Pessoa (Solidariedade), Luciano Nunes (PSDB), Elmano Férrer (Podemos), Fábio Sérvio (PSL), Valter Alencar (PSC) e Sueli Rodrigues (PSOL). Não participaram do debate os candidatos de partidos que não têm representação na Câmara dos Deputados, Luciane Santos (PSTU), Romualdo Seno (DC) e Lourdes Melo (PCO).


No debate da Rede Meio Norte, Elmano Férrer não fez mais críticas severas ao governador Wellington Dias, como vinha fazendo na campanha. Luciano Nunes perguntou ao governador Wellington Dias se ele garante o pagamento dos servidores e o 13º salário até o fim do ano. Wellington Dias afirmou que vai cumprir o pagamento dos salários e o 13º salários dos servidores públicos estaduais, mas tem uma verdadeira torcida, como se a oposição desejasse que atrasasse salários.



 (Crédito: Wellington Benário)
(Crédito: Wellington Benário)



Houve um pequeno conflito de ideias entre Sueli Rodrigues, que criticou a entrega de terras públicas com preços baixíssimos para o agronegócio e isenção fiscal, o que não manteria a renda da população, e Valter Alencar, que defendeu isenção fiscal para o agronegócio. “Esse estado sempre governou para os ricos. O nosso governo, a nossa proposta de luta é para a agricultura familiar, para proteger as pessoas e o nosso meio ambiente”, salientou.


Para Valter Alencar, para gerar emprego é preciso ter experiência, ter liberdade econômica e para isso é preciso ter isenção fiscal, com infraestrutura de água e luz funcionando e também geração de emprego ao microempreendedor. “Os insumos são importantes, o respeito do governo viabilizando essa porta aberta que vai gerar a oportunidade do trabalho”, falou Alencar.


Fábio Sérvio disse que existe dinheiro para a Maternidade Evangelina Rosa e para os hospitais do interior, mas é mal gerido. “O problema é como esse dinheiro é utilizado e quem gerencia, quando se passa muito tempo no poder, parece que se perde a sensibilidade, por isso, precisamos de renovação. A receita é simples: colocar gente como prioridade”, falou.


No debate, Doutor Pessoa disse que são uma tristeza as prioridades do Governo do Estado e as Secretarias Estaduais são geridas por políticos. “No nosso governo, nós não vamos colocar político na administração. Serão as classes que vão desenvolver, para que não haja desvios”, disse Doutor Pessoa.


A Rede Meio Norte promoveu dois debates com os candidatos a governador, o primeiro promovido pelas TV do Piauí, no dia 16 de agosto, e outro na noite de quinta-feira e um entre os candidatos ao Senado, na semana passada, além de sabatinas com os candidatos a governador e a senador e debates entre candidatos a deputado estadual e deputado federal na emissora e na Rádio Jornal Meio Norte.


O debate de quinta-feira tinha uma comissão, formada pelos advogados, indicados pelo Ordem dos Advogados do Brasil (OAB), para analisarem os pedidos de direito de resposta feitos pelos candidatos.


Wellington promete cumprir pagamentos


Questionado sobre a política fiscal do Estado, principalmente no que tange a garantia do pagamento do décimo terceiro salário dos servidores, o candidato à reeleição Wellington Dias (PT) garantiu que cumprirá a tabela projetada pela administração. O governador ainda sintetizou que o Piauí está na contramão da maioria dos entes federativos e vem mantendo os investimentos, apesar da crise.


“Recebi o estado com déficit, tivemos que planejar trocando pneu com carro andando, me parece que tem uma verdadeira torcida, é como se desejasse que atrasasse os salários, todos os debates é a mesma posição, foi no meu mandato que inaugurou uma tabela de salários”, afirmou.


O candidato reverberou a importância de se manter o Estado equilibrado para a economia em geral, como por exemplo o comércio. “Pagamento da tabela salarial nós vamos cumprir, manter serviços funcionando, com capacidade de investimento, mesmo numa situação como essa, enquanto 19 estados atrasavam salários, o Piauí se manteve de pé e vamos manter isso porque é essencial para o servidor e para o comércio”, complementou.



 (Crédito: Wellington Benário)
(Crédito: Wellington Benário)



 


Dr. Pessoa quer construir açudes no semiárido


O candidato do Solidariedade ao Governo do Estado, Doutor Pessoa, prometeu, durante o debate da Rede Meio Norte, que vai construir açudes na região do Médio Parnaíba, que tem rios perenes e água no subsolo, e na região do semiárido, que possui o terceiro maior lençol freático do Piauí.


“Mas, mesmo assim, lá eu vi pessoas passando sede. 80% ou mais da alimentação do Piauí vem de outros estados. Por que não produzir aqui?”, indagou Doutor Pessoa.


Doutor Pessoa afirmou que esteve no município de Morro Cabeça no Tempo, que deu 93% de votos para o governador do Piauí, Wellington Dias, que não voltou mais lá e mandou fechar foi duas escolas.


“No meu governo, a população do semiárido não vai ter a  água do subsolo, mas sim sobre o solo. Com certeza tem muita água e nós vamos reter essa água para que o povo do semiárido seja atendido a contento”, falou Doutor Pessoa.



 (Crédito: Wellington Benário)
(Crédito: Wellington Benário)



Sueli aposta em empregos pela agricultura familiar


Candidata do PSOL ao Governo do Estado, a professora Sueli Rodrigues criticou a isenção fiscal para grandes empresários e defendeu o desenvolvimento da agricultura familiar no Piauí. Ela ainda sintetizou a importância de inverter a lógica de desenvolvimento, de modo que o foco da gestão seja o povo do Piauí.


“Todos os governantes do Piauí administraram para fora e nunca para o povo do Piauí e nós temos atualmente a entrega das terras públicas com preços baixíssimos para o agronegócio e isenção fiscal, dessa forma não mantemos renda, esse estado sempre governou para os ricos. O nosso governo, a nossa proposta de luta é para a agricultura familiar, para proteger as pessoas e o nosso meio ambiente”, disse.


Sueli Rodrigues também reverberou a necessidade de dar atenção aos pequenos empresários e produtores, viabilizando o desenvolvi- mento nas mais distintas regiões do Estado. “É isso que nos diferencia, se tiver isenção é para o pequeno, o grande empresário tem que pagar imposto, porque tradicionalmente não pagam e o saldo negativo fica para o povo do piauiense, matando as pessoas e o meio ambiente. Esse tipo de desenvolvimento está mais do que provado que não dá certo”, comentou. 



 (Crédito: Wellington Benário)
(Crédito: Wellington Benário)



 


Luciano promete reduzir impostos caso seja eleito


Questionado sobre a tarifa de energia elétrica no Piauí e a estratégia para diminuí-la, o candidato Luciano Nunes (PSDB) criticou o número de tributos no Estado, sinalizando para a necessidade de reduzir impostos.


“Nós temos uma das maiores contas de energia do país e isso se deve devido a uma das maiores tributações da história desse país, esse governo foi um dos que mais aumentou o número de tributos do país tanto de governo, por isso vamos reduzir esses impostos, estimular os piauienses para empreender e atrair a instalação de novas empresas e também criar uma tarifa social e o governo do estado tem que dar sua contribuição”, afirmou.


O representante do PSDB na disputa majoritária ainda sinalizou para a importância de se investir numa energia de qualidade para que mais empresas possam se instalar no Piauí. “Candidata, infelizmente, nos últimos 12 anos, a Cepisa tem se tornado um e entrave para o desenvolvimento do Estado do Piauí”, disse.



 (Crédito: Wellington Benário)
(Crédito: Wellington Benário)



Elmano promete parceria do Governo com a Apae


O candidato do Podemos ao Governo do Estado, senador Elmano Férrer, prometeu durante o debate da Rede Meio Norte com os candidatos a governador, realizado na noite de quinta-feira, formar parceria com entidades como a Associação dos Pais e Amigos dos Excepcionais (Apae) e outras organizações para atender as pessoas com deficiência, além de criar e formar parcerias com outras organizações.


“Para executar os nossos projetos para atender as pessoas com deficiência, é fundamental formar parcerias com organizações da sociedade como APAE e devemos criar outras instituições para fazer parcerias e estabelecer uma parceria”, falou Elmano Férrer, respondendo pergunta feita pelo candidato à reeleição ao Governo do Estado, Wellington Dias (PT).


Elmano Férrer falou que 17% da população do Piauí tem alguma deficiência, o que é uma triste realidade e tem um programa de governo para atender as pessoas com deficiência.



 (Crédito: Wellington Benário)
(Crédito: Wellington Benário)



Valter critica as PPPs da Ceasa e das rodoviárias


O candidato do PSC ao Governo do Estado, Valter Alencar, criticou durante o debate da Rede Meio Norte, na noite de quinta-feira, com os candidatos a governador, os Parcerias Público-Privadas (PPPs) que o Governo do Estado fechou, com empresas privadas, para gestão das águas e esgotos de Teresina; da Centrais de Abastecimento do Piauí (Ceasa) e Terminal Rodoviário Lucídio Portella, na zona Sul da capital piauiense.


Para ele, PPP é um programa aonde uma empresa rica vem para o Piauí, toma conta do patrimônio público do Estado e deve oferecer um serviço de qualidade com o preço baixo, o que infelizmente não acontece. “Hoje, temos a PPP de uma empresa de água, se o governador puder ir para alguns bairros de Teresina vai escutar que a água aumentou de preço isso significa saque aos cofres públicos. Na Ceasa, o mesmo”, disse.



 (Crédito: Wellington Benário)
(Crédito: Wellington Benário)



Fábio Sérvio promete mudar gestão da saúde


Questionado sobre as propostas para reduzir a taxa de mortalidade infantil, o candidato Fábio Sérvio (PSL) indicou que um dos graves problemas na saúde local é o gerenciamento; o empresário reiterou para a necessidade de uma renovação, visando a utilização eficiente dos recursos no setor.


“Um problema grave nós temos na Maternidade Evangelina Rosa e nos hospitais do interior, dinheiro existe e o problema é como esse dinheiro é utilizado e quem gerencia, quando se passa muito tempo no poder, parece que se perde a sensibilidade, por isso, precisamos de renovação. Eu não creio que esse partido seja sério. O partido que o Wellington Dias participa é alvo de denúncias de corrupção no país inteiro, para reduzir a mortalidade infantil é preciso organizar o gerenciamento dos recursos da saúde. A receita é simples: colocar gente como prioridade”, disse.



 (Crédito: Wellington Benário)
(Crédito: Wellington Benário)


FONTE: Efrem Ribeiro/MN

O conteúdo de cada comentário é de responsabilidade de quem realizá-lo. Nos reservamos o direito de reprovar ou eliminar comentários em desacordo com o propósito do site ou com palavras ofensivas. A qualquer tempo, poderemos cancelar o sistema de comentários sem necessidade de nenhum aviso prévio aos usuários e/ou a terceiros.
Comentários

0 comentários

Veja também
Facebook
© Copyright 2018 :: Todos os direitos reservados
Site desenvolvido pela Lenium