Quarta, 17 de outubro de 2018
86 99829-3614
Geral

22/09/2018 ás 07h59

1.002

Fernando Rocha

Lagoinha / PI

PM envolvido na morte de Emilly é solto e vai a juri popular
PM envolvido na morte de Emilly é solto e vai a juri popular
PM envolvido na morte de Emilly é solto e vai a juri popular
PM envolvido na morte de Emilly é solto e vai a juri popular

O policial militar Aldo Luis Barbosa Dornel vai a julgamento pelo Tribunal Popular do Júri pela morte da menina Emilly Caetano Costa, de oito anos, no dia 25 de dezembro do ano passado. A decisão é do juiz Antonio Nollêto, da 1ª Vara. O PM vai esperar o julgamento em liberdade, já que na mesma decisão, o magistrado revogou a prisão do acusado. Ele teve a prisão preventiva decretada no dia 27 de dezembro de 2017. Veja a sentença


O cabo da PM Francisco Venicio Alves, que também estava na abordagem policial que terminou na morte da garota tambem vai à juri popular, mas pelo crime de fraude processual. A pena varia de 3 meses a dois anos.


A defesa de Aldo Dornel alegou cerceamento de defesa e pleiteou a sua impronúncia por entender que inexiste suporte probatório mínimo a indicar a autoria do crime. Sustentou ainda a insuficiência de provas e pediu a remessa do processo para a Justiça Militar Estadual, por se tratar de suposto delito impróprio. 


Até o julgamento, o PM não poderá se ausentar temporariamente ou definitivamente do município de sua residência, sem a devida autorização do juiz. Tem que comparecer a todos os atos do processo para os quais for intimado e informar o juiz mensalmente das suas atividades, bem como uma eventual mudança de endereço. Aldo não pode sair à noite e nem nos dias de folga. O policial não deve se envolver em nenhum outro delito.


A abordagem


Emilly estava com os pais e duas irmãs, sendo uma dela um bebê de nove meses, em um veículo passando pela Avenida João XXIII quando o carro da família foi atingido por tiros após ser parado por uma viatura policial. Nela estavam PMs do 5° Batalhão da Polícia Militar, responsável pelo policiamento na zona Leste da Capital. 



Segundo a mãe de Emily, Daiane Félix Caetano, em depoimento à polícia, ela e o marido, o cantor sertanejo Evandro da Silva Costa, estavam indo levar a filha para uma franquia de açaí quando ocorreu a abordagem policial. O policial Aldo Luis Barbosa Dornel foi apontado como autor dos disparos.  


Câmeras de segurança mostram um dos policiais atirando contra o veículo da família, já parado. Na ação, a mãe de Emily, que estava com um bebê no colo, levou um tiro de raspão e o pai, o músico Evandro Costa, foi atingido na cabeça e perdeu a audição de um dos ouvidos. 

FONTE: cidadeverde.com

O conteúdo de cada comentário é de responsabilidade de quem realizá-lo. Nos reservamos o direito de reprovar ou eliminar comentários em desacordo com o propósito do site ou com palavras ofensivas. A qualquer tempo, poderemos cancelar o sistema de comentários sem necessidade de nenhum aviso prévio aos usuários e/ou a terceiros.
Comentários

0 comentários

Veja também
Facebook
© Copyright 2018 :: Todos os direitos reservados
Site desenvolvido pela Lenium