Segunda, 22 de outubro de 2018
86 99829-3614
Cidades

25/07/2018 ás 21h07

947

Fernando Rocha

Lagoinha / PI

Escolas e hospitais de 192 municípios do Piauí terão acesso a internet
Escolas e hospitais de 192 municípios do Piauí terão acesso a internet
Escolas e hospitais de 192 municípios do Piauí terão acesso a internet
ministro da Ciência, Tecnologia, Inovações e Comunicações, Gilberto Kassab

O ministro da Ciência, Tecnologia, Inovações e Comunicações, Gilberto Kassab, foi ao município de União deflagar o início da conexão de internet banda larga em escolas e hospitais públicos de 192 municípios.


Duas escolas municipais de União, no Piauí, receberam as primeiras das cinco antenas do programa Internet para Todos, iniciativa do Ministério da Ciência, Tecnologia, Inovações e Comunicações (MCTIC) para levar banda larga a locais sem conectividade.


No estado do Piauí, são 192 cidades cadastradas. Segundo o ministro Gilberto Kassab, a expectativa é beneficiar cerca de 53 milhões de brasileiros que hoje não contam com internet em alta velocidade.


Ele participou na quarta-feira do ato que marcou a primeira conexão de internet na escola Gervasio Costa, no povoado Novo Nilo. Nos próximos dias, será a vez das cidades de Barras, Miguel Alves e Alto Longa, também no Piauí, e de Rorainópolis e Caracaraí, em Roraima.


O Internet para Todos não oferecerá conexão gratuita para os moradores dessas localidades. A população será atendida com pacotes de internet por hora (uma, três ou seis horas) ou por capacidade (250Mb, 450Mb e 1Gb). Conforme definido pelo programa, os preços serão mais acessíveis do que aqueles atualmente praticados em áreas cobertas por sinais de celular, já que o Internet para Todos integra o Governo Eletrônico – Serviço de Atendimento ao Cidadão (Gesac) e está isento de tributos.


A conexão será feita por meio do Satélite Geoestacionário de Defesa e Comunicações Estratégicas (SGDC), de propriedade do governo brasileiro e que recebeu R$ 3 bilhões em investimentos. Em órbita desde maio de 2017, o satélite tem vida útil de 18 anos, sendo que três destes foram graças ao trabalho de cientistas brasileiros, o que permitiu estender o prazo de operação do SGDC.


As prefeituras se cadastraram e assinaram o termo de adesão que define a infraestrutura básica e as condições para a participação no Internet para Todos. Os municípios indicaram as localidades passíveis de atendimento, que receberão as antenas para a distribuição do sinal de internet. Além de garantir a segurança da área, também arcarão com as despesas de energia elétrica que esses equipamentos vão consumir.


Além dos convênios com as prefeituras, o MCTIC já firmou parcerias com o Ministério da Defesa, para garantir o monitoramento de 100% das fronteiras brasileiras, ampliando as ações de combate ao tráfico de armas e drogas; com o Ministério da Educação, para levar banda larga para todas as escolas públicas do país, sendo que 7 mil serão beneficiadas já em 2018; e com o Ministério da Saúde, para implantar internet em hospitais e postos de saúde, melhorando a gestão pública e a qualidade dos serviços prestados à população.


“Para atender toda a demanda gerada pelo Internet para Todos, o MCTIC criou um sistema que gerencia as informações contidas em cada contrato, referente às localidades escolhidas pelas prefeituras. São informações indicando as coordenadas geográficas, dados sobre infraestrutura disponível e também das pessoas responsáveis por acompanhar a implantação em todo o país. As informações serão consolidadas e encaminhadas para as empresas de telecomunicações credenciadas para atender ao programa”, falou Kassab.


A Telebras é a primeira empresa de telecomunicações credenciada pelo MCTIC e já está se preparando para cumprir os objetivos do Internet para Todos. Assim que receber as informações consolidadas do MCTIC, a empresa fará uma análise das localidades e iniciará a busca e credenciamento de empreendedores e pequenos empresários que serão os responsáveis por comercializar o serviço de internet em cada localidade.


Uma grande parte da infraestrutura necessária para atendimento ao Internet para Todos será fornecida pela empresa parceira da Telebras no Brasil (Viasat), que é uma das maiores operadoras de satélite do mundo. Serão adotados modelos de equipamentos já testados em mercados como o México, caracterizados pela facilidade de operação. O primeiro lote de antenas de recepção via satélite (VSAT´s), antenas de Wifi profissionais, terminais de operação, e demais sistemas já foram fabricados e estão em processo de importação para o Brasil.


O MCTIC está credenciando as empresas interessadas em participar do Internet para Todos por meio da Secretaria de Telecomunicações, que receberá um documento com a solicitação. A lista de localidades orientará as empresas para que definam onde desejam prestar o atendimento. Não tem prazo final – em qualquer momento, a empresa pode enviar um ofício para ser incluído no programa.

FONTE: jornalmeionorte

O conteúdo de cada comentário é de responsabilidade de quem realizá-lo. Nos reservamos o direito de reprovar ou eliminar comentários em desacordo com o propósito do site ou com palavras ofensivas. A qualquer tempo, poderemos cancelar o sistema de comentários sem necessidade de nenhum aviso prévio aos usuários e/ou a terceiros.
Comentários

0 comentários

Veja também
Facebook
© Copyright 2018 :: Todos os direitos reservados
Site desenvolvido pela Lenium