Sábado, 24 de fevereiro de 201824/2/2018
86 99829-3614
ROCHA E OS MENINOS DE BARÃO
POLÍCIA
Reitor da Uespi diz que vai trabalhar para elucidar investigação da PF
Reitor da Uespi diz que vai trabalhar para elucidar investigação da PF
Fernando Rocha Lagoinha - PI
Postada em 18/01/2018 ás 13h16 - atualizada em 18/01/2018 ás 16h17
Reitor da Uespi diz que vai trabalhar para elucidar investigação da PF

Reitor da Uespi


O reitor da Uespi, Nouga Cardoso, concedeu entrevista coletiva e afirmou que nunca recebeu nenhum tipo de denúncia sobre irregularidades nos programas, mas que está colaborando para elucidar o caso o mais rápido possível.


Ele também falou que as contratações de professores e concessão de bolsas para a Universidade Aberta foram dentro dos critérios legais.


“O processo da denúncia trata da implantação dos programas com a inclusão de pessoas que receberiam bolsas indevidamente. Os processos da Universidade são lançados em editais onde são oferecidos as bolsas. A Uespi não abriu nenhum processo de investigação interna, o órgão que deve fazer é a própria Controladoria Geral da União e a Polícia Federal. Todo mundo que exerce cargo na Uespi trabalham com indicação e nomeação do reitor”, fala.


Questionado sobre quem são os gestores afastados ou quem serão afastados, o reitor Nouga Cardoso diz não trabalhar com suspeitas. “Nos foi denunciado e encaminhamos o caso para a Controladoria Geral da União e a Polícia Federal, eles que tem a obrigação de fazer a investigação. A Uespi trabalha com processo normativo e não investigativo, isso fica a cargo de quem está no ofício. Também não tenho conhecimento preciso de quantas pessoas recebem as bolsas”, declarou.



 (Crédito: Efrém Ribeiro)


 


Operação Curriculum


 


A Polícia Federal no Estado do Piauí, em conjunto com a Controladoria-Geral da União (CGU) e o Ministério Público Federal, deflagraram na manhã de hoje (16) a Operação Curriculum que investiga irregularidades na aplicação de recursos federais destinados à Universidade Estadual do Piauí (Uespi) no âmbito dos Programas Universidade Aberta do Brasil (UAB) e Plano Nacional de Formação de Professores da Educação Básica (PARFOR).



 (Crédito: Efrém Ribeiro)


 


O UAB tem por finalidade expandir e interiorizar a oferta de cursos e programas de educação superior no país, por meio do desenvolvimento de programas e de cursos na modalidade de educação a distância, enquanto o PARFOR tem como escopo a formação inicial e continuada dos profissionais do magistério para as redes públicas de educação básica, por meio de atividades presenciais.



 (Crédito: Efrém Ribeiro)


 


As investigações realizadas até o momento identificaram indícios da concessão indevida de bolsas, que somente no ano de 2016 teriam gerado pagamentos indevidos no montante de R$ 276.585,00. Dentre os casos identificados, constataram-se a concessão de bolsas sem a realização do respectivo processo seletivo e a pessoas que não atendiam os requisitos dos programas federais, tais como ausência de comprovação de formação acadêmica e de experiência profissional. Alguns dos bolsistas são familiares de servidores da Uespi.



 (Crédito: Efrém Ribeiro)


 


Também foram constatados indícios de que alguns bolsistas recebiam os pagamentos, porém não desempenhavam suas atividades, bem como a utilização das bolsas para pagamentos de serviços de terceiros, o que indica a possível ocorrência de desvio de finalidade na aplicação dos recursos. Equipes da Polícia Federal e da CGU estão cumprindo mandado de busca e apreensão na sede Uespi, cujo material apreendido será analisado e os envolvidos intimados a prestarem esclarecimentos sobre as irregularidades.



 (Crédito: Efrém Ribeiro)


A assessora de Comunicação da Universidade Estadual do Piauí, Alderona Cavalcante, afirmou que as bolsas foram concedidas de formas legais e que, por meio de nota, explica a origem dos recursos adquiridos no ano de 2017 com apuração por parte da Controladoria Geral do Estado e também da Controladoria Geral da União, tendo em vista tratar-se de recursos de origem federal.


Os policiais federais estão na Instituição desde as 6h. Alguns funcionários foram impedidos de entrarem na Uespi. Muitos documento foram levados para análise



 (Crédito: Efrém Ribeiro).


O reitor da Uespi, Nouga Cardoso, afirmou que vai conceder uma entrevista coletiva as 11h sobre a Operação Curriculum da Polícia Federal. Ele também falou que as contratações de professores e concessão de bolsas para a Universidade Aberta foram dentro dos critérios legais.


Veja a nota na íntegra:


A Universidade Estadual do Piauí (UESPI) vem a público informar que, motivada por notícias veiculadas na imprensa tendo como foco os programas PARFOR(Plano de Formação de Professores da Educação Básica) e NEAD(Núcleo de Educação à Distância) desenvolvidos no âmbito desta IES, solicitou, ainda em meados de 2017, apuração por parte da Controladoria Geral do Estado e também da Controladoria Geral da União, tendo em vista tratar-se de recursos de origem federal.


Atendendo esta solicitação da UESPI, os órgãos de controle de contas acionaram a Polícia Federal para realizar as buscas necessárias de averiguação solicitada, ocorridas na manhã desta quarta-feira, 17/01/2018.


A Administração Superior UESPI deixa claro que, além de ter solicitado de ofício, está colaborando naquilo que é solicitada com a investigação e que é a maior interessada em que tudo fique esclarecido para garantir a transparência e a correta aplicação dos recursos públicos que tem sido o norte da atual gestão.


 


FONTE: Efrem Ribeiro
O conteúdo de cada comentário é de responsabilidade de quem realizá-lo. Nos reservamos o direito de reprovar ou eliminar comentários em desacordo com o propósito do site ou com palavras ofensivas. A qualquer tempo, poderemos cancelar o sistema de comentários sem necessidade de nenhum aviso prévio aos usuários e/ou a terceiros.
Comentários

500 caracteres restantes

  • COMENTAR
    • Prove que você não é um robô:

imprimir
23.731
© Copyright 2018 :: Todos os direitos reservados
Site desenvolvido pela Lenium